Shein Acusada de Práticas Anticompetitivas na Expansão Global

Shein accused of anti-competitive practices in global expansion.

Dois dos maiores plataformas de e-commerce da China, Temu e Shein, competem agressivamente entre si, e essa rivalidade é típica da indústria como um todo. Ambas as empresas agora estão levando suas estratégias agressivas da China para o mercado global. Este artigo examinará a disputa atual entre Temu e Shein, bem como as alegações e refutações feitas por ambas as partes, e como isso afetou o mercado internacional de e-commerce.

Temu, uma subsidiária da gigante chinesa de e-commerce Pinduoduo, entrou com uma ação contra a gigante da indústria de moda rápida Shein nos Estados Unidos, alegando que a Shein pratica práticas anticompetitivas. De acordo com as alegações da Temu, a Shein coagiu fabricantes de roupas a assinar cláusulas de não competição. Essa acusação é semelhante à que afirma que a política “escolhendo um entre dois” da Alibaba coagiu vendedores a abandonar a Pinduoduo em favor das próprias plataformas da Alibaba. A investigação do governo chinês sobre as práticas monopolísticas da Alibaba em 2020 mostrará as consequências graves do comportamento anticompetitivo.

A Shein é tão rigorosa com seus fornecedores de roupas porque tem dificuldade em obter algodão na China. De acordo com um post no Xiaohongshu, a versão chinesa do Reddit, escrito por um fornecedor da Temu, fabricantes de roupas enfrentam dificuldades ao tentar obter algodão de áreas fora de Xinjiang, a principal região produtora de algodão da China. Preocupações com possível trabalho forçado fizeram com que a indústria da moda dos Estados Unidos se afastasse de Xinjiang. Todos os 8.338 fabricantes da Shein são obrigados a assinar acordos de exclusividade, o que os impede de vender na Temu ou fornecer produtos para vendedores da Temu.

Os acordos de exclusividade da Shein com aproximadamente 8.338 fabricantes representam cerca de 70% a 80% dos varejistas estimados capazes de fornecer moda ultra-rápida, de acordo com a ação judicial da Temu. Isso demonstra as circunstâncias graves em que a Temu se encontra e o impacto que as práticas anticompetitivas da Shein tiveram na indústria como um todo. Apesar da crescente popularidade da moda ultra-rápida, que atende às demandas dos clientes por roupas da moda, entregues rapidamente e com preços razoáveis, a capacidade da Temu de oferecer uma ampla seleção de tais produtos pode ser prejudicada devido ao controle da Shein sobre muitos fabricantes.

Tanto a Shein quanto a Temu estão envolvidas em uma guerra que se espalhou além das fronteiras da China. A Shein é uma subsidiária de manufatura chinesa de uma empresa sediada em Cingapura. A Temu e a Pinduoduo, por outro lado, começaram sua expansão global abrindo um escritório em Dublin, na Irlanda. Questões legais entre Shein e Temu são complicadas pelas regulamentações do mercado chinês e de outros países.

Para combater a dominação de algumas empresas no espaço da internet de consumo e o uso generalizado de modelos de negócios monopolistas no setor de tecnologia, a China propôs legislação antimonopólio. Não houve resolução para a disputa entre Shein e Temu, e não está claro se o governo chinês intervira para mediar a situação. Isso levanta questões sobre a eficácia e o alcance das leis antimonopólio da China em escala global.

A disputa legal entre Shein e Temu envolve uma ampla gama de tópicos. A Shein alega que a Temu infringiu sua marca registrada e direitos autorais ao tentar se aproveitar da popularidade da marca Shein no mercado americano por meio de um esquema complexo de imitação. Essas acusações ilustram o quanto está em jogo para ambas as partes.

O futuro das compras online em todo o mundo está em jogo na disputa em curso entre Shein e Temu. As regulamentações devem ser estritas para evitar comportamentos anticompetitivos, e a competição justa é enfatizada. À medida que mais pessoas se voltam para os marketplaces online para comprar mercadorias, é mais crucial do que nunca proteger os consumidores e garantir uma competição justa.

A competição entre Temu e Shein é indicativa da indústria global de e-commerce como um todo. As acusações e contra-acusações de comportamento anticompetitivo mostram o quão acirrada é a competição e o quanto está em jogo. É crucial que as autoridades abordem práticas monopolistas e garantam acesso igual ao mercado à medida que o setor de e-commerce cresce. Empresas e clientes requerem um campo de jogo nivelado na economia digital de hoje.

Primeiro relatado em TechCrunch

Perguntas Frequentes

1. O que são Temu e Shein, e o que torna sua rivalidade significativa?

Temu e Shein são duas das maiores plataformas de e-commerce da China envolvidas em uma competição agressiva. Sua rivalidade é típica da natureza competitiva da indústria de e-commerce. Ambas as empresas agora estão levando suas estratégias agressivas da China para uma escala global, impactando o mercado internacional de e-commerce.

2. Que ação legal a Temu tomou contra a Shein e quais são as acusações?

A Temu, uma subsidiária da Pinduoduo, entrou com uma ação contra a Shein nos Estados Unidos, alegando práticas anticompetitivas. A ação alega que a Shein coagiu fabricantes de roupas a assinar cláusulas de não concorrência, semelhantes à suposta política de “escolher um de dois” da Alibaba. A investigação do governo chinês sobre as práticas monopolísticas da Alibaba em 2020 mostrou as potenciais consequências desse comportamento.

3. Qual é a importância do controle rigoroso da Shein sobre os fornecedores de roupas?

O controle rigoroso da Shein sobre os fornecedores de roupas está relacionado à dificuldade de obter algodão fora de Xinjiang, a principal região produtora de algodão da China. Devido às preocupações com trabalho forçado em Xinjiang, a indústria da moda dos Estados Unidos se distanciou do uso de algodão proveniente da região. Todos os 8.338 fabricantes da Shein são obrigados a assinar acordos de exclusividade, impedindo-os de vender na Temu ou fornecer produtos para vendedores da Temu.

4. Como o acordo de exclusividade da Shein impacta a indústria e a Temu?

De acordo com a ação judicial da Temu, cerca de 70% a 80% dos varejistas estimados capazes de fornecer moda ultra-rápida estão entre os fabricantes vinculados aos acordos de exclusividade da Shein. Isso afeta severamente a capacidade da Temu de oferecer uma ampla seleção de produtos de moda ultra-rápida, apesar da crescente demanda por esses itens.

5. Como a rivalidade entre a Shein e a Temu se estendeu além da China?

Tanto a Shein quanto a Temu expandiram suas operações além das fronteiras da China. Enquanto a empresa mãe da Shein está em Cingapura, a maioria de seus produtos é fabricada na China. A Temu e a Pinduoduo estabeleceram um escritório em Dublin, Irlanda, como parte de seus planos de expansão global. Isso adiciona complexidade à disputa legal, envolvendo regulamentações de vários países.

6. Qual é a posição da China em relação às leis antimonopólio e como isso pode afetar essa disputa?

Em resposta às práticas monopolísticas na indústria de tecnologia, a China propôs legislação antimonopólio. O desfecho da disputa entre a Shein e a Temu pode ser impactado por essas leis, mas ainda é incerto como os reguladores chineses irão intervir no caso, uma vez que nenhuma das empresas vende diretamente seus produtos na China.

7. Quais são as questões-chave na disputa legal entre a Shein e a Temu?

A disputa legal envolve diversos aspectos, incluindo a acusação da Shein de que a Temu violou seus direitos de marca registrada e direitos autorais por meio de um esquema de falsificação para lucrar com a popularidade da marca Shein no mercado americano. Isso destaca a complexidade e os altos riscos envolvidos no conflito.

8. Como a disputa em curso entre a Shein e a Temu afetará o mercado global de comércio eletrônico?

A rivalidade em curso entre a Shein e a Temu tem implicações significativas para o cenário internacional de comércio eletrônico. A necessidade de regulamentações estritas para evitar comportamentos anticompetitivos é enfatizada, e a importância da concorrência justa é destacada. À medida que mais consumidores recorrem a marketplaces online, garantir a proteção do consumidor e a concorrência justa se torna crucial.

9. O que a disputa entre a Shein e a Temu revela sobre a indústria de comércio eletrônico em geral?

A disputa ilustra a natureza altamente competitiva da indústria global de comércio eletrônico. As acusações e contra-acusações de comportamento anticompetitivo destacam a intensa concorrência e o impacto significativo no mercado. Os reguladores devem combater práticas monopolísticas e garantir oportunidades iguais para as empresas nesse setor em crescimento.

10. Como essa disputa afeta as empresas e os consumidores na economia digital?

Na economia digital, tanto as empresas quanto os consumidores necessitam de um ambiente de jogo justo para prosperar. O conflito em curso entre a Shein e a Temu enfatiza a importância da concorrência justa e da necessidade de proteger os interesses dos consumidores. Regulamentações mais rigorosas são necessárias para conter práticas anticompetitivas e promover um mercado justo e aberto para todas as partes interessadas.

Crédito da imagem em destaque: Unsplash